Notícias

Vara da Justiça Itinerante homenageia desembargador aposentado Elair Morais

 

Na manhã desta quarta-feira (14) o Tribunal de Justiça do Estado de Roraima por meio da Vara da Justiça Itinerante prestou uma homenagem ao desembargador aposentado Elair Morais, responsável pela instalação do programa Justiça Itinerante no ano de 1999 quando esteve na presidência do TJRR. A solenidade foi presidida pelo juiz titular da unidade Erick Linhares e contou com a participação da desembargadora corregedora-geral de justiça Tânia Vasconcelos que sucedeu Morais frente ao programa que culminou com a criação da Vara.


De acordo com Erick Linhares a sociedade roraimense tem muito a agradecer ao desembargador Elair Morais pelos primeiros passos de uma nova forma de atendimento ao jurisdicionado: aproximando a justiça do cidadão. "Em nossas peregrinações no interior do Estado, mesmo passados dezesseis anos, muitos lembram dos primeiros atendimentos nos municípios, sua forma atenciosa de tratar o cidadão, as reuniões com a comunidade em cada deslocamento para falar de direitos individuais e coletivos e cidadania. Enfim essa foi uma singela forma de agradecer e homenagear esse importante personagem da história do Judiciário Roraimense", afirmou.


A desembargadora Tânia Vasconcelos, em seu pronunciamento, lembrou do surgimento da ideia de uma justiça que fosse ao encontro do cidadão. "Ainda como juíza nos idos de 1996, conhecemos no Acre, uma bonita experiência do judiciário indo às comunidades rurais, indígenas e bairros distantes. Apresentamos um projeto ao presidente do TJ na época, mas por falta de estrutura o projeto ficou engavetado. Na sua administração finalmente saiu do papel,  sua ousadia e determinação foram fundamentais para que a Justiça Itinerante se tornasse uma realidade em Roraima", afirmou a magistrada.


Visivelmente emocionado Elair Morais contou um pouco de sua trajetória desde antes de se tornar desembargador do TJRR em sua primeira composição. Sobre a Justiça Itinerante, Morais  declarou que mesmo para um tribunal jovem (apenas oito anos) era inadmissível que estivesse presente apenas em três municípios. "Naquela época só haviam três comarcas, Boa Vista, Caracaraí e São Luiz. E os outros? Como ficava o povo do restante do Estado? Então nossa ideia era justamente ir onde a justiça não estava presente, nas sedes dos municípios em que não haviam comarcas. Fomos também ao Baixo Rio Branco em uma grande expedição, levando justiça e cidadania para uma grande parcela do povo de Roraima. Fizemos mesmo sem os recursos e as condições ideais, lançamos uma semente que encontrou um solo fecundo e hoje é uma vara premiada e reconhecia no estado em  nível nacional. Agradeço de coração esta homenagem e parabenizo a desembargadora Tânia Vasconcelos e ao juiz Erick Linhares que deram continuidade ao programa".


A solenidade ocorreu na recepção da Vara da Justiça Itinerante e teve como testemunha servidores, equipe de Defensoria pública liderada pela defensora Eucenir Diogo e o público que aguardava atendimento.

 


Boa Vista, RR 14 de setembro de 2016
Núcleo de Relações Institucionais do TJRR - NURI
Escritório de Comunicação Social